Operadores
Login

Esqueceu a senha?

BRAMON | BRAMON é o Brasil na IMC 2017 (Parte 2)
1174
post-template-default,single,single-post,postid-1174,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,
title

Novidades

BRAMON é o Brasil na IMC 2017 (Parte 2)

Na sexta feira, 22 de setembro, a Conferencia Internacional de Meteoros foi aberta com fala de David Asher. A Sessão 1, tinha como instância foco: trabalhos em progresso. Tivemos Detlef Koschny mostrando os trabalhos da FRIPON-NL (Fireball Recovery and InterPlanetary Observation Network).

Imagem de Fireball disponível na Rede FRIPON.

Na sequências, o belga Stjin Calders, do Royal Belgian Institute for Space Aeronomy apresentou um interessante trabalho: The Radio Meteor Zoo – involving citzens scientist in radio meteor research. Na oportunidade, ele divulgava a iniciativa de ter uma base de espetrogramas de registros de meteoros em rádio e a possibilidade de que as pessoas se cadastrassem no programa e passassem a contribuir com o mesmo, identificando os registros de meteoros surgidos, eliminando falsos positivos.

Da Eslováquia, Juraj Toth falou sobre o projeto AMOS (All-Sky Meteor Orbit System) e sua distribuição na Eslováquia, Ilhas Canárias e Chile. Apresentou resultados e perspectivas de trabalho futuro.

Sistema AMOS em operação nas Ilhas Canárias.

O canadense Denis Vida apresentou o Canadian Automated Meteor Observatory. Ressaltando o alto nível de precisão orbital que estavam conseguindo.

Imagem com o arranjo do sistema canadense.

O sérvio Stefan Berisa apresentou o NOMON project. Levando o foco do trabalho com meteoros para um viés mais educacional.

Já Mariusz Wisniewski, mostrou o status atual da Rede polonesa de Fireballs. Foi uma apresentação robusta, mostrando o histórico de surgimento e os produtos gerados por eles.

Mariusz Wisniewski durante a apresentação da Fireball Polish Network.

A última  apresentação da primeira sessão coube a Regina Rudawska, com “The CILBO spectral observation program”. Um trabalho muito interessante de correlações entre espectros de meteoros e suas demais características físicas.

Regina Rudawska durante sua apresentação na IMC 2017.

Após esta primeira sessão houve pausa para o almoço. Era oportunidade de conversar com os primeiros palestrantes sobre detalhes de seus projetos.

Aqui, Lauriston Trindade também iniciou o networking, conversando sobre a BRAMON e seus resultados e colhendo contatos que pudessem favorecer intercâmbios futuros de conhecimentos e tecnologias.

A tarde da sexta feira reservava outros excelentes trabalhos que serão comentados no próximo post.

Fotografias: Lauriston Trindade / divulgação. Texto e edição: Lauriston Trindade

* Lauriston Trindade é integrante da BRAMON desde 2015. Co-descobridor de chuvas de meteoros e membro da IMO. Representou a BRAMON e o Brasil na 36ª Conferência Internacional de Meteoros – Petnica.

Nenhum Comentário

Desculpe, os comentários estão fechados agora.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Google+
http://www.bramonmeteor.org/bramon/bramon-e-o-brasil-na-imc-2017-parte-2">
Twitter