Operadores
Login

Esqueceu a senha?

BRAMON | CEAAL (AL) – Instituição parceira da BRAMON.
1669
post-template-default,single,single-post,postid-1669,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,
title

Novidades

CEAAL (AL) – Instituição parceira da BRAMON.

 

 

Neste post vamos contar um pouco da história de mais uma instituição parceira da BRAMON, o CEAAL (Centro de Estudos Astronômicos de Alagoas).

O início

Sua origem data de 1978, com o Alagoano Genival Leite e Lima, após fazer um curso de iniciação à astronomia em Recife, no Clube Estudantil de Astronomia – CEA, orientado pelo Padre Jorge Pollman. Ao retornar a Maceió, começou a fazer observações solares (contagem de grupos de manchas solares usando projeção) e criou, em sua residência, uma humilde casa, o Observatório Astronômico Fomalhaut (que depois viria a ser o CEAAL). O instrumento usado era uma pequena luneta de 2″ (5 cm de diâmetro) e f/10, emprestada a ele. Ainda assim Genival foi responsável por alguma divulgação da Astronomia em Alagoas e sempre acolheu todas as pessoas que se interessassem pela ciência. Genival também promoveu alguns cursos de Astronomia, todos introdutórios, compartilhando o que havia aprendido. Vale ressaltar que, em 1975, Genival se maravilhou com a Astronomia, ao ler, em Maceió, um livro de divulgação do famoso Astrônomo, Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, o que muito contribuiu a ir para a cidade do Recife aprender mais sobre essa Ciência.

Genival Leite Lima, Fundador do CEAAL, no Centro de Ciências de Alagoas de Alagoas, em 1989..

Por cerca de dez anos, o grupo promoveu várias atividades, destacando-se cursos de Astronomia (de caráter introdutório), mostras comemorativas ao Dia Nacional da Astronomia (2 de Dezembro) e pernoites de observação. Também foi uma constante, desde o início, ações de divulgação, como levar pessoal e instrumentos (a antiga luneta e mais um ou dois binóculos) para escolas e até praças públicas(Esta ação do CEAAL foi denominada Sic Itur ad Astra – Assim se Vai aos Astros). Em 1985, através de Genival, o grupo estava sediado no Centro de Ciências de Alagoas – CECIAL, órgão estadual localizado no então Complexo Educacional Antônio Gomes de Barros – CEAGB (hoje novamente denominado de CEPA, seu primeiro nome). O CEPA é uma grande área onde funcionam várias escolas públicas estaduais, mais órgãos de apoio. O CECIAL era um destes órgãos de apoio, com a função de servir como laboratório de ciências para todas as escolas, e também apoiar ações dos professores de ciências.

A integração do grupo de astronomia ao CECIAL foi natural, devido à coincidência de objetivos de ambos os lados. O CECIAL forneceu uma sala para servir de sede para o grupo, e este apoiava o CECIAL em atividades que envolvessem Astronomia e abria suas portas três noites por semana para atender gratuitamente toda a comunidade.

Graças à participação da Secretaria Estadual de Educação, na figura do então secretário, Dr. Douglas Apratto, e ao interesse no cometa Halley, foram adquiridos três telescópios refletores newtonianos de 7″ (17,5 cm de diâmetro), usados para várias observações e atividades públicas. No início do ano de 1989, ainda no CECIAL, decidiu-se sair da informalidade. Para isso fixou-se o nome de Centro de Estudos Astronômicos de Alagoas (CEAAL), criou-se um estatuto e regimento interno e houve o registro em cartório e publicação em Diário Oficial, adquirindo o CEAAL personalidade jurídica. Adriano Aubert Silva Barros foi o principal articulador deste movimento, e tornou-se o primeiro presidente do CEAAL. Assim como Adriano, todos os associados ao CEAAL que já participavam das atividades antes de 1989 (data oficial de fundação) são chamados sócios-fundadores do CEAAL.

Pouco depois houve o encerramento das atividades do CECIAL, e a sede do CEAAL transferiu-se para o Espaço Cultural da Universidade Federal de Alagoas – UFAL, com quem foi feito um convênio para uma parceria que durou mais alguns anos(1990 – dezembro 1994). Graças à localização do Espaço Cultural, na área central de Maceió, e ao próprio fluxo de pessoas no Espaço, o CEAAL tornou-se muito conhecido e passou a fazer um atendimento ao público muito mais intenso. Alguns vínculos se criaram com órgãos da UFAL, e apesar da iluminação da cidade, o local onde o CEAAL ficava permitia boas observações (como as marcas que o cometa Shoemaker-Levi 9 deixou em Júpiter, após chocar-se com o planeta em 1994).

Aliás, o pátio onde se fazia observações tinha sido concebido exatamente para observações astronômicas, como parte do curso de engenharia civil. Mas há mais de uma década a astronomia havia sido retirada do curso, e o pátio havia sido fechado ou usado para outros fins, até a volta da astronomia com o CEAAL. O próprio Espaço Cultural não existia há muito tempo. Poucos anos antes, ali funcionava a Reitoria da UFAL, onde também havia aulas, o que explica a existência do pátio de observações. A parceria com o Espaço Cultural durou até o ano de 1994, quando o grupo resolveu sair daquele orgão, grato a todos os que haviam contribuído para os trabalhos realizados até então. Por cerca de um ano, o CEAAL não possuiu sede fixa, mudando-se com frequência. Isso contribuiu bastante para a enorme diminuição de frequentadores e visitantes.

Em 1996, o CEAAL recebeu um convite da Usina Ciência para participar de uma parceira com o intuito de divulgar a astronomia. Aceito o convite, o CEAAL inicia assim a atual parceria com a Usina Ciência.

A Usina Ciência é o órgão de extensão da UFAL que reúne grupos ligados à ciência com atividades de divulgação e ensino, apoiando escolas, professores e estudantes (sejam dos Ensinos Fundamental, Médio ou Superior). Exceto o CEAAL, todos os grupos participantes da Usina Ciência (Física, Química etc.), incluindo o seu pessoal, são da própria UFAL (são professores, pesquisadores, bolsistas, alunos e funcionários).

Em 1995, o CEAAL chega à Internet, através da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Alagoas – FAPEAL. O sócio Luiz Lima do Nascimento em muito contribuiu para este incentivo ao grupo ter um site na então, incipiente WEB. A Fapeal cedeu espaço para hospedagem do site do CEAAL e acesso discado (o que na época não era tão comum nem fácil como hoje). Isso permitiu ao CEAAL se tornar conhecido fora de Alagoas e atender pela rede um grande número de pessoas, inclusive alguns internautas de fora do Brasil.

Um levantamento feito no início de 1997 mostrou que o CEAAL atendeu a cerca de 4 mil pessoas distintas em 1996 pela Internet (em um total de quase 25 mil páginas acessadas), contra cerca de 1500 pessoas atendidas pessoalmente. Em 1996 e 1997, o acesso a 25 mil páginas por ano era um número muito expressivo para um website brasileiro.

A Internet foi aos poucos influenciando os associados do CEAAL. Hoje, muitos deles estão conectados à rede. A consequência natural foi o uso da Internet como acessório da Astronomia. Alguns associados do CEAAL participam de listas de discussão e de outros grupos graças à internet, criando vínculos com a AAVSO (a COEV é muito atuante no CEAAL), REA/Brasil, etc.

A partir de meados de 2009, o site do CEAAL passou a se basear na plataforma Plone, que permite mais facilmente o manuseio e atualização das páginas pelos sócios do CEAAL. A adaptação do site ao Plone foi feita pelo associado Lucas Benevides Viana Amorim. Ficamos com a Fapeal até o ano de 2018. Agora, com um esforço dos sócios, deixamos a Fapeal e temos um site próprio neste endereço: www.ceaal.org.br

Ressalto o esforço dos Sócios Francisco Barros, Beatriz  Amorim.

No final de 2001 decidimos retomar o antigo projeto do Observatório Astronômico de Maceió. Conseguimos a seção de um terreno na Universidade Federal de Alagoas- UFAL de 600 m2, próximo a gráfica universitária. A idéia era a de conseguir com a prefeitura municipal, através da secretaria de Educação do município a construção do observatório. Mas, as mudanças na secretaria e suas prioridades impediram o desenvolvimento daquele projeto do observatório.

No mês de abril de 2004, entramos com um projeto de observatório na Secretaria Estadual de Educação, no CEPA. No final deste mesmo ano, o projeto foi aprovado e atualmente, encontra-se em desenvolvimento no setor de engenharia da SED. Temos esperança de em breve, estarmos inaugurando nosso observatório astronômico.

Em fevereiro de 2005, a Usina Ciência da UFAL adquiriu um planetário insuflável de 6 metros de diâmetro. As seções do planetário serão realizadas por membros do CEAAL e monitores da Usina Ciência.

Em maio de 2005, o CEAAL realizou o I Encontro Interestadual Nordestino de Astronomia em Maceió. O Evento aconteceu no Centro de Formação – CENFOR do Centro de Estudos e Pesquisas Aplicadas – CEPA. O I EINA foi apoiado pela Usina Ciência da UFAL, pelas Secretarias Executivas da Educação e da Ciência e Tecnologia.

Estiveram presentes ao evento associações e amadores dos estados de Pernambuco, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte e Alagoas.

Desde então, o CEAAL tem participado de todos os Encontros de Astronomia do Nordeste, tendo inclusive sediado também o terceiro encontro, em 2007.

Em 2008, o CEAAL sediou o 11° Encontro Nacional de Astronomia (ENAST), realizado entre 15 e 16 de novembro daquele ano. O 11° ENAST foi coordenado pelo então Presidente do CEAAL, Adriano Aubert Silva Barros, cujos principais objetivos daquele mandato eram a realização do ENAST, a organização administrativa e estrutural do centro e a aquisição da sede própria do CEAAL.

Em 2006, o CEAAL recebeu o Título de Utilidade Pública Municipal, aprovado pela Câmara Municipal de Maceió, tendo sido o projeto de lei levado à votação pelo então vereador Judson Cabral.

Recebemos também, em 2007, o Título de Utilidade Pública Estadual, pela Assembleia Legislativa do Estado, projeto também levado pelo deputado Judson Cabral.

O ano de 2009 foi uma grande celebração mundial da Astronomia. A IAU (União Astronômica Internacional) e a ONU, por meio da UNESCO, o declararam o Ano Internacional da Astronomia (AIA), em comemoração aos 400 anos das primeiras observações astronômicas por telescópio, feitas por Galileu Galilei, em 1609. Os eventos realizados ao longo do ano se constituíram no maior esforço de divulgação científica da história humana, com estimativas de ter alcançado mais de 800 milhões de pessoas em mais de 140 países.

O CEAAL participou com afinco dos eventos globais e nacionais, sob a coordenação de David Duarte Cavalcante Pinto, sendo galardeado com três prêmios internacionais, um nacional e mais uma menção honrosa internacional. O primeiro prêmio internacional foi por ocasião das 100 Horas de Astronomia, um dos programas “pedras-fundamentais” do AIA, quatro dias de atividades intensas e concomitantes em mais de 100 países no mês de abril. O CEAAL teve a honra de ser o vencedor em uma das oito categorias de premiações organizadas pela coordenação global do evento, tendo vencido o prêmio pelo “Maior número de eventos realizados por um único grupo” durante os quatro dias, com 16 eventos ao todo.

Em outubro daquele ano, foi promovido mundialmente o evento Noites Galileanas, intencionado para repetir, no segundo semestre, o sucesso das 100 Horas de Astronomia. Mais uma vez, o CEAAL foi honrado com premiações, sendo duas internacionais, entre as seis categorias organizadas pela comissão global de organização do evento, e uma nacional, distribuída pela organização brasileira do AIA 2009. As premiações internacionais foram pelo “Maior número de eventos realizados por um único grupo” e pela Divulgação/alcance na comunidade”, além de uma menção honrosa na categoria de “maiores números de público em um único evento”. Já a premiação nacional foi pelo maior número de eventos promovidos por um único grupo, que teve como premiação material o telescópio refrator Celestron NexStar SLT 102, acima referido na seção de Equipamentos. Tais premiações tornaram o CEAAL o grupo de Astronomia mais premiado no mundo no ano de 2009 e são o maior reconhecimento que o CEAAL recebeu por seu trabalho em toda a sua história.

Em janeiro de 2010 o CEAAL, por decisão de uma assembleia geral extraordinária, opta pela transferência de sua sede da Usina Ciência para o recém – inaugurado Observatório Astronômico Estadual Genival Leite e Lima(OAGLL)no CEPA. Na Usina Ciência, continuaríamos a fazer nosso Cursos de Iniciação à Astronomia, mantendo assim, nossa parceria com a Usina. Entretanto, nossas observações semanais seriam no OAGLL.

No ano de 2010, assume novamente a Presidência do CEAAL, Romualdo Arthur Alencar Caldas, por um período de 2 anos e, como já mencionado acima, mudamos, em Janeiro, para o Observatório Estadual Genival Leite e Lima, no  CEPA, dirigido por Adriano Aubert Silva Barros.

Recebemos, em fevereiro do mesmo ano, a visita de um pesquisador do MIT (EUA) para verificar a veracidade da não-ocultação de uma estrela da Constelação de Gêmeos pelo Asteroide Varuna. Este pesquisador, Matthew Lockhart, usou o telescópio “Piatti”, de 300mm(pertencente à Usina Ciência e emprestado para o Observatório), e uma câmera trazida por ele para registrar o possível evento da ocultação ou confirmar que o fenômeno não seria visto de nossa localização, que foi o resultado obtido. O nosso sócio Edmilson Souza Barreto, pelo telescópio Refrator “Alemão”, de 100mm, também confirmou, visualmente, a não-ocultação.

Ainda neste ano, o CEAAL inicia o projeto de traduzir para a língua portuguesa o Manual de Observação Visual de Estrelas Variáveis da American Association of Variable Stars Observers (AAVSO). Fizeram parte desta tarefa os sócios: David Duarte, Edmilson Barreto, Adriano Aubert, Kizzy Resende e Luís Antônio Medeiros. Ainda no mesmo ano ano, Romualdo Arthur cria o Blog e o Twitter do CEAAL.

Em 2011, após comunicações de David Duarte com funcionária da AAVSO Sara Beck, e sua gentil colaboração para as revisões e formatações finais, o CEAAL termina a tarefa da tradução do Manual da AAVSO, e este é publicado no site da instituição norte-americana.

No ano de 2013, mais precisamente em agosto, a diretoria do CEAAL e, depois, na assembleia geral extraordinária convocada a seguir, sugeriu que o CEAAL voltaria a fazer suas observações de sábado no pátio da Usina Ciência e, nas terças e quintas, no OAGLL, podendo seus sócios ficarem nos dois locais. Tudo isto se confirmou com a concordância de todos, na outra assembleia, em Janeiro de 2014.

Em 2015 continuamos a exercer a Astronomia com nossas observações, palestras, atendimentos a escolas, Cursos de iniciação à Astronomia(realizados na Usina Ciência), concedendo entrevista à imprensa local e divulgando mais do que nunca a Astronomia e, portanto, o próprio CEAAL. Já no ano de 2016 a Usina Ciência, no mês de julho, a Usina Ciência nos concedeu a nossa antiga sala e transferimos de vez nossos pertences do OAGLL para a Usina Ciência. Ainda em 2016 o CEAAL volta a publicar o seu informativo Apolo, após 10 anos de inatividade do mesmo.

Parceria com a BRAMON

O ano de 2017 foi especial para o CEAAL: Iniciamos a parceria com a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros (BRAMON) em janeiro. O então Presidente do CEAAL, Romualdo Arthur Alencar Caldas, entrou em contato com Marcelo Domingues, Sócio do Clube de Astronomia de Brasília(CAsB) e da BRAMON, com a intenção de aprender como montar uma estação de vídeo monitoramento de meteoros, além de comprar o material necessário para fazer essa nobre tarefa. Marcelo Domingues não só forneceu alguns dos materiais necessários para montar a estação, como nos integrou à BRAMON, apresentando nossa vontade de contribuir e, quase que imediatamente, a BRAMON nos aceitou. O CEAAL escolheu a BRAMON para firmar essa parceria, principalmente pela credibilidade, seriedade, companheirismo e honestidade de sua liderança: Cristovão Jacques, Marcelo Domingues, Marcelo Zurita, Lauriston Trindade, Carlos Di Pietro, Renato Poltronieri e tantos outros. Em outubro daquele ano, nossa Estação estava funcionando a todo vapor, totalmente integrada à BRAMON, captando meteoros e colaborando para o conhecimento. No final de 2017, mais precisamente na madrugada de 14/12, o sócios do CEAAL Romualdo Caldas (também da BRAMON) e David Duarte – em Maceió – junto com Marcelo Zurita (sócio da Associação Paraibana de Astronomia – APA – e da BRAMON) que estava na Paraíba nessa data, registraram um impacto lunar de um meteorito, no mesmo dia, hora, minuto, segundo e mesmo lugar da Lua. Esse feito é histórico no nosso País, afinal, foi a primeira vez que astrônomos sejam amadores ou profissionais registram (filmam) impactos lunar comprovado. Como as equipes estavam a mais de 400 Km de distância uma da outra, confirma-se o impacto. Lembrando que esse feito só foi possível graças a uma campanha feita pela BRAMON, alguns dias antes do pico dos meteoros Geminídeas que aconteceu na data acima referida.

O ano de 2018 começa muito bem com relatos e gravações de um bólido em Salvador, com relatos também em Sergipe e, nossa câmera de monitoramento celeste, captando tal explosão do bólido, no mesmo dia, hora, minuto e segundo do relato na Bahia-Sergipe, ajudando aos sócios da BRAMON analisarem a massa, diâmetro do meteoro, velocidade, trajetória do mesmo. 

Visite o CEAAL!

História do CEAAL atualizada até Março 2018. Texto e imagens Romualdo Caldas/CEAAL. Edição: Lauriston Trindade.

Nenhum Comentário

Desculpe, os comentários estão fechados agora.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Google+
http://www.bramonmeteor.org/bramon/ceaal-al-instituicao-parceira-da-bramon">
Twitter