Operadores
Login

Esqueceu a senha?

BRAMON | Asteroide atingiu a Terra nesse dia 02, horas depois de ser descoberto
1931
post-template-default,single,single-post,postid-1931,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,
title

Novidades

Asteroide atingiu a Terra nesse dia 02, horas depois de ser descoberto

Um asteroide provavelmente atingiu a Terra nesse sábado, dia 02 de junho. O asteroide foi descoberto algumas horas antes pelo Catalina Survey, um projeto  financiado pela NASA para busca de asteroides próximos a Terra e que tem 3 telescópios no Arizona nos Estados Unidos.

Imagens do asteroide ZLAF9B2. Créditos: Catalina

Imagens do asteroide ZLAF9B2. Créditos: Catalina

Segundo os cálculos divulgados por Bill Gray, o objeto que tem cerca de 3 ou 4 metros, teria até 80% de chances de impacto com a Terra ao longo de uma faixa que vai da Indonésia ao Sul da África, conforme mostrado no mapa abaixo, em torno das  15:12 UTC (12:12 horário de Brasilia).

Faixa prevista para possível impacto. Em amarelo, local onde foi registrado o bólido. Crédito: Bill Gray / Project Pluto

Faixa prevista para possível impacto. Em amarelo, local onde foi registrado o bólido. Crédito: Bill Gray / Project Pluto

Momentos depois do horário previsto, a IMO – Organização Internacional de Meteoros, recebeu neste dia 02 alguns relatos de bólidos vindos da África do Sul e de Botswana, todos eles em horário compatível com o esperado para um impacto do ZLAF9B2 naquela parte do globo. Surgiu também um vídeo postado pela sul-africana Suzanne Paxton Spektrum, que mostra um bólido registrado em uma câmera de segurança. O horário e a trajetória do bólido parecem ser compatíveis com o esperado para o asteroide recém descoberto, o que é mais um indício de que pode se tratar realmente do mesmo objeto que foi fotografado com magnitude 17.2 pelo Observatório Catalina no Arizona.

Bólido registrado na África do Sul. Créditos: Suzanne Paxton Spektrum

Bólido registrado na África do Sul. Créditos: Suzanne Paxton Spektrum

No vídeo, o bólido aparece em baixa elevação mas com um brilho muito elevado e explode já abaixo do horizonte com um brilho espetacular, capaz de iluminar todo o céu. Veja o vídeo na post original da Suzanne aqui: https://www.facebook.com/suzanne.paxtonspektrum/videos/10156461078083410/

Peter Brown divulgou na noite desse dia 02 que foi detectado uma grande emissão de infrassom na estação I47 na África do Sul. O sinal foi detectado às 16:45 UTC e numa magnitude entre 0,3 e 0,5 KTon,  o equivalente à entrada de um asteroide de 2 metros. A estação faz parte de uma rede internacional de sensores de infrassom operado pela JPL/NASA e em breve os resultados mais apurados dessa detecção devem ser divulgados.

Sinal do bólido detectado pela estação I47 na Africa do Sul

Sinal do bólido detectado pela estação I47 na Africa do Sul

 

Nesse domingo (03) pela manhã, o SONEAR informou em seu canal no Facebook que o asteroide foi detectado também pelo Observatório Atlas situado no Hawai.  Com  os dados fornecidos pelo observatório, a órbita do asteroide foi refinada e a área de possível impacto foi reduzida para uma faixa de apenas 1500 Km entre a Botswana e a Namíbia.

Área de possível impacto refinada

Área de possível impacto refinada

A partir do somatório de informações, O SONEAR declarou não haver mais dúvidas que o bólido detectado em Botswana se tratava de fato do impacto do asteroide detectado horas antes pelo Catalina. Eles divulgaram também um mapa da área reduzida de onde deve ter ocorrido impacto. Certamente, em alguns dias, serão encontrados os meteoritos provenientes desse asteroide.

Mapa da área do impacto. Crédito: SONEAR

Mapa da área do impacto. Crédito: SONEAR

E às 13:15 desse domingo, 03 de junho de 2018, o Minor Planet Center divulgou a circular 2018-L03 em que atribui o nome 2018 LA ao asteroide até então chamado provisoriamente de ZLAF9B2 e confirma que ele não existe mais, tendo entrado na atmosfera sobre o Sul da África nesse dia 02, às 16:51 UTC (13:51 horário de Brasília).

Dessa forma, está confirmado. Este é  apenas o terceiro caso de um asteroide que atingiu a Terra depois de detectado pelos telescópios que monitoram asteroides próximos à Terra. Os casos anteriores foram dos asteroides 2008 TC3 e 2014 AA, ambos descobertos pelo Catalina. Isso mostra a necessidade de aumentarmos os investimentos em pesquisas nessa área.

Esse é um dos motivos que no dia 30 de junho, o mundo celebra o Asteroid Day, uma mobilização internacional com o objetivo de conscientizar autoridades e o público em geral sobre os reais riscos de um impacto de asteroide na Terra e sobre as ações possíveis para evitar ou amenizar seus efeitos. A BRAMON participa do Asteroid Day e convida a todos para participarem também.

 

Com informações de Cristóvão Jacques – Observatório SONEAR

 

Veja também outros vídeos que começam a surgir desse evento:

3 Comentários