Operadores
Login

Esqueceu a senha?

BRAMON | BRAMON é o Brasil na IMC 2017 (Parte 6)
1204
post-template-default,single,single-post,postid-1204,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,smooth_scroll,
title

Novidades

BRAMON é o Brasil na IMC 2017 (Parte 6)

Após o café da manhã do sábado (23), houve uma pequena sessão de anúncios gerais sobre a Conferência. Foram informações sobre a programação, traslado para Belgrado ao fim da Conferência e venda de publicações da IMO.

Quem conduziu a sessão 5 (Fenômenos e processos atmosféricos) foi Jean-Louis Rault.

Daniel Kastinen (IRF – Suécia) trouxe o trabalho: Orbital uncertainties in radar meteor head echoes, onde o mesmo discutia as incertezas das medições de trajetórias de meteoros por método de registros por radar. Pavol Matlovic (Comenius University in Bratislava – Eslováquia) com seu: Study of distinct meteor spectra populations abordava a classificação de meteoros a partir de espectros.

Jean-Louis Rault apresentou: FRIPON fine-scale observations of the Doppler frequency shifts affecting meteor head radio echoes

Jean-Louis Rault mostra o sistema do radar GRAVES, na França.

Damir Segon (CMN – Croácia)apresentou o trabalho: Meteors in Near-Infrared as seen in the Ondrejov Catalogue of Representative meteor Spectra. Uma das abordagens que Segon fez neste trabalho foi o comparativo entre vários tipos de sensores usados para os registros de meteoros e a comparação do nível de emissão de radiação x captação para estimar características físicas dos meteoroides.

Damir Segon durante sua apresentação na IMC 2017 – Petnica

Vlastimil Vojacek (Astronomical Institute of the Czech Academy of Sciences – República Tcheca): Properties of faint meteors studied by video observations.

Abrindo a sessão 6 (Chuvas de meteoros & Background de esporádicos) tivemos Hervé Lamy como mestre de cerimônias. Jurgen Rendtel apresentou o trabalho: Detectability of short meteor showers peaks. Um interessante estudo estatpistico para a definição dos picos de chuvas menores.

Jürgen Rendtel inicia sua apresentação na IMC 2017 – Petnica.

G. Tomezzoli foi representado por Cis Verbeeck (Bélgica) na apresentação: radio observation of the 2016 Daytime Meteor Showers. aqui tivemos uma extratificação  dos registros das chuvas de meteoros diurnas. Uma das melhores metodologias para registrar as chuvas diurnas continua sendo o uso dos métodos por rádio.

Przemyslaw Zoladek (PFN / PKiM – Polônia) trouxe: zeta Cassiopeiids – twelve years of observations. Era um trabalho de extratificação de dados de observações da chuva ZCS ao longo de 20 anos.

Chris Steyaert (VVS – Bélgica): Radio observations of the july 2016 Gamma Draconids outburst. Hervé Lamy (Royal Belgian Institute for Space Aeronomy – Bélgica): Observations of the Geminids 2016 with the BRAMS radio Interferometer. E finalmente, fechando a sessão 6 na manhã de sábado, Cis Verbeeck ( International Meteor Organization, Royal Observatory of Belgium – Bélgica): Overview of major shower observations 2016-2017 by BRAMS network.

Após o almoço, os participantes da IMC 2017 fizeram uma excursão para Valjevo e Brankovina.

Fotos e texto: Lauriston Trindade*

*Lauriston Trindade é integrante da BRAMON desde 2015. Co-descobridor de chuvas de meteoros. Membro da IMO. Representou a BRAMON e o Brasil na IMC 2017 – Petnica.

Nenhum Comentário

Desculpe, os comentários estão fechados agora.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Google+
http://www.bramonmeteor.org/bramon/bramon-e-o-brasil-na-imc-2017-parte-6">
Twitter